Ramificações flamejantes - posts

Página 1 de 5 1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Ramificações flamejantes - posts

Mensagem por Lízi em Ter Jul 01, 2014 3:05 pm


A cidade Ishika é uma pequena cidade rural, se comparada com as capitais. É um grande foco de produção de grãos e carnes e tem boas escolas para as crianças e adolescentes, dela saem muitos empresários e profissionais do meio agrícola.

Sua geografia é agradável, apesar do inverno ser bem pesadinho por conta dela ficar mais próxima a costa, não é cercada por montanhas, então não é tão forte quanto por exemplo, em Kyoto. Verões bem quentes pedem por melâncias grandes! Primaveras bem agradáveis e produtivas, pedem por muitas máscaras de alergia e muitos namoros embaixo das poucas cerejeiras da cidade, no pé do morro Itoshi.

Definitivamente uma cidade rural tem que ter um templo, assim como em todos os locais. Localizado no alto de um morro, depois de inúmeros lances de escada em uma imensa espiral ao redor do morro, com vista para as águas, se alcança o velho templo de Ishika, onde Kamis da agricultura, vida e fertilidade são venerados, festivais feitos em seus nomes, funerais, mudanças, e muitas orações. Foi neste templo, que, há 24 anos, o casal Tsukino rezou fervorosamente por dois dias e duas noites para que seu pequeno filho fosse salvo de uma doença terrível que estava lhe matando e um Kami atendeu seu pedido, salvando o menino e mudando sua vida para sempre. A região toda é bem religiosa, seguindo as crenças do Shinto, é claro, a veneração aos Kami.

Todos ali conhecem o jovem Toshiaki, que sempre cresceu de um modo peculiar...extraordinário. O nome exato disso ninguém sabe, mas o garoto estudou muito e se formou botânico, depois estudou mais e se formou herbologista, depois se aperfeiçoou em inúmeras "artes da natureza" e é tido em Ishika como o jovem Doutor Toshiaki, apesar de ainda não ter doutorado algum. É muito fácil reconhecer, entre todas as casas  ias e grandes, bem orientais, a casa dele. É tudo muito produtivo, as plantas são enormes e cobrem a casa quase que por completo. Ele tem uma casa bem grande, a que era de seus pais e praticamente em todo lugar se vê coisas crescendo, de grama até árvores. Se vê coisas que nem deveriam nascer ali se você chegar a visitá-lo e dentro da casa...bem, isso é para outra hora, mas Toshiaki é um rapaz responsável que não deixa nada sujo...exceto ele que passa o tempo todo praticamente, sujo de terra, cheirando a fertilizante natural e outras coisas.

Depois das muitas casas separadas por bons pedaços de paisagem, oposto ao templo, temos o 'centro' da cidade. É lá que tem lojas básicas para se sobreviver, passadas de geração em geração, mas também tem lojas mais moderninhas, como uma pequenininha de celulares e um pequeno fliperama simples. Tudo mais que as pessoas precisam, encomendam da capital, ou pedem a Toshiaki, pois ele trabalha la da manhã até o fim da tarde.
avatar
Lízi
Admin

Mensagens : 5172
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 26

http://aweternalinks.omeuforum.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ramificações flamejantes - posts

Mensagem por Lih em Ter Jul 01, 2014 4:28 pm

É possivel encontrar seus produtos mais simples, como garrafas compradas em atacado cheias de óleos naturais manufaturados por ele e suas mãos mágicas, com suas plantas mágicas, tampados a rolha, bem conservado com claras instruções escritas a mão, numa linda letra quase não masculina, em um cartãozinho amarrado em volta do bico das garrafinhas. Parecem garrafas de poção, mas as poções ele deixa em casa mesmo. A senhora Oda é responsável pelo mercadinho geral da cidade, seria uma loja de conveniências da capital e frequentemente se tem umas 5~6 entregas para fazer por dia lá, então a bicicleta própria para isso é muito utilizada por quem quer que a auxilie na loja.

Hoje é domingo dia 4 de maio, a noite já. Estamos no meio da Golden Week e é verão. Apesar de tudo, o mercadinho atende algumas entregas.

Depois de muito funcionar, a cidade estava mais quietinha, alguns homens estão no bar como sempre, mas nada alarmante. Toshiaki ligou e pediu uma entrega para o mercadinho, ele precisava de 1kg de filé de peixe, pois se esqueceu totalmente disso antes. São 22:30, a loja fecha as 23h, então depois da entrega, a ajudante pode finalmente descansar.

Os muros medianos da residência Tsukino são cobertos de trepadeiras, até o portão fechado tradicional de madeira, quase parece ter feito raízes de algum modo, a campainha está ali para ser tocada quantas vezes se precisar, tem um plaquinha escrito isso em cima dela. Ele teve que instalar uma dessas, porque as vezes está muito longe do portão para escutar palmas ou chamados.


╰☆╮ Faz mais ou menos dois meses que Etsuko chegou aquela cidadezinha. Ela não consegue nem lembrar direito da sua chegada. Sua vó já estava doente e o que ela mais vez foi ficar no hospital fazendo-lhe companhia. Sua vó era a única pessoa que tinha e foi realmente um abalo quando a perdeu. Chorou por dias e se recusou a receber pessoas ou conversar com elas. Foi o primeiro enterro ao qual ela foi... Foi solitário. Não tinha quase ninguém, só alguns poucos contatos de sua vó e um advogado que foi quem cuidou de tudo. Etsuko agora não era uma menina desamparada, financeiramente, mas certamente estava desamparada na parte emocional. Quando realmente reuniu forças para se levantar da cama, não tinha muita certeza do rumo que daria para sua vida. Tudo pareceu tão infeliz sem ela ali. Sabia que aquela pessoa não duraria pra sempre, mas era tudo o que tinha. Se ocupar parecia lhe fazer bem. Optou por arranjar um emprego e há uma semana atrás conseguiu esse no mercadinho. Etsuko nunca trabalhou na vida, mas era uma pessoa inteligente. Fazia tudo o que aparecia pra fazer, as vezes sem nem precisar ser ordenada. Não queria passar suas horas abatida pela grande perda que sofreu, por isso procurava se animar enquanto fazia seu trabalho. Era amigável, simpática, educada, principalmente com os mais velhos. Procurava sorrir todos os dias e pra falar a verdade com essa ocupação tem se sentido melhor. Não liga de passar horas e horas naquele mercadinho, é definitivamente melhor que ficar em casa e pode conhecer quem mora ali mais facilmente. Essa noite havia uma entrega. Nunca se negou a fazer nenhuma delas, apenas pedia as indicações corretas a senhora dona do mercadinho para ter a certeza de não se enganar.

Aquela noite do dia quatro de maio montou na bicicleta e cuidou para que a encomenda estivesse presa corretamente para chegar em perfeito estado na casa de...
╰☆╮

- Vamos ver... Não posso me esquecer do nome... Tsukino Toshiaki... Ah! Aquela pessoa famosa por aqui...

╰☆╮  Tinha anotado aquele nome para não se esquecer. Procura tratar bem os clientes do mercadinho e por isso achava que seria uma grande falha se confundisse o nome ou não soubesse como cumprimentá-los. Pedalou tranquilamente pelas ruas da pequena cidade até estar diante da casa dele. Com certeza era a casa mais diferente dali. Admirou-a um pouco. Nunca na vida tentara cultivar qualquer planta assim e de qualquer maneira não tinha tanto talento assim. E com tantas viagens, mesmo quando se esforçava, algumas acabavam morrendo. Desistiu de ter plantas por isso. Respirou fundo, pôs um sorriso tranquilo no rosto e foi tocar a campainha. Estava se sentindo cansada. Trabalhara bastante hoje e depois que ajudasse a senhora a fechar a loja, poderia ir pra casa descansar um pouco. Ah, jantar... Jantar antes seria bom, esquecia das refeições as vezes, mais ainda por ter de fazê-las quando estava em casa. Antigamente encontraria tudo pronto, feito pela sua amada avó. ╰☆╮

- Mas as coisas mudam né... Sempre mudam.

O portão foi aberto, tem luzes no jardim da frente e a entrada da casa de fato não é muito longe daquele portão. Um rapaz alto, magro, bem branquinho e de cabelos curiosos, rosadinhos bem fraquinhos e olhos de um vermelho claro, bem incomum, ficou lhe observando. Sua camisa branca está imunda de terra, ele não cheira nada bem. Suas calças então, nem se tem certeza se aquela lama pode mesmo sair do jeans claro. Suas botas são bem pra isso mesmo, bem batidas e de jardinagem. Ele foi tirando as luvas, então suas mão estão mais limpas que o resto. Ele olhou bem para a garota, com cara de curioso.

— Ora, boa noite! Desculpe ligar tarde, esqueci que precisava de peixe, veja só! Que cabeça a minha!

A cumprimentou como um bom japonês faz, se curvando adequadamente. Um pouco de terra caiu dos seus cabelos. Logo se pôs ereto novamente e tateou os tantos bolsos da calça, mas nada de carteira.

— Tsc, mas que coisa! Deixei a minha carteira lá dentro. Você espera um minuto, hm?

Ele deixou o portão aberto, então da pra ter uma visão da quase selva que é sua casa, cheia de plantas que ela vê muito e outras que nem se sabe se deviam crescer naquele solo. E o mais intrigante, tudo parece...mais vivo do que plantas seriam. O jardim todo tem uma harmonia perfeita, o cheiro não iria irritar o nariz de Etsuko, mas sim deixá-la estranhamente...calma, em paz. Logo ele voltou com a carteira e lhe deu o dinheiro da compra.

— Muito obrigado mesmo...qual seria seu nome, senhorita?

Apesar da sujeira e do cheiro, Toshiaki é extremamente educado, sua voz é mais ou menos grossa, aveludada, bem gostosa de se escutar e ele fala sempre com calma.

╰☆╮ Etsuko tinha um olhar bastante atencioso para o rapaz. Ele era bonito, ela não o vira antes. Pode não conhecer todo mundo da cidade ainda, mas tem quase certeza de que ele era o mais bonito daquela região. Ela continuou sorrindo, mas parecia engraçado alguém tão bonito e tão sujo de terra. Ele devia realmente gostar muito de suas plantas, já que elas são incrivelmente bonitas, é diferente de qualquer coisa que já tenha visto por aí, mesmo em um jardim botânico. ╰☆╮

- Boa noite, Tsukino Toshiaki-san.

╰☆╮ Ela devolveu o cumprimento e curvou corretamente demonstrando educação. Ela era paciente, não se importou de esperar ali. A bicicleta estava no descanso e ela foi retirar as encomenda dele. Pegou a sacola de compras e continuou próxima ao portão até que este retornasse. Próxima a ele, sentiu que seu cheiro não era muito agradável, mas era compreensível se estava ali trabalhando com suas plantas, por isso não se incomodou. Respondeu sua pergunta um pouco sem jeito. Não importa o quão sujo esteja ele é realmente muito bonito. ╰☆╮

- Etsuko... Ah, por favor, me chame de Etsuko.

╰☆╮ Não disse mesmo seu sobrenome, ganhou esse costume com os anos e costuma preferir se apresentar assim, se sente mais próxima das pessoas, não foi apenas por se atrapalhar. ╰☆╮

Enfiou a carteira no bolso de trás de qualquer jeito, para pegar a sacola com os peixes bem embalados em papel pardo, amarrados com barbante. Deu uma olhadinha e balançou a cabeça bem satisfeito, mas quando ela se apresentou ele entrou em uma negação.

— Não, não...nem pensar! Etsuko-san, se me permite.

E já que ela não tinha dito seu sobrenome, parecia o permitido.

— Muito obrigado Etsuko-san, por ter vindo tão longe no fim do seu expediente. Tem certeza que vai ficar bem na volta? Posso te acompanhar na minha moto. Mesmo no campo, não recomendo que jovens moças andem por aí desacompanhadas a noite.

E ele tem seus príncipios, como não gostar de garotas andando a noite sozinhas, mesmo que elas possam se defender maravilhosamente bem.

╰☆╮ Do que ele estava falando? Nada vai lhe acontecer numa cidade tão pacífica assim. Ela deu três passos pra trás. Particularmente era melhor ir se afastando do cheiro dele, não há como negar. ╰☆╮

- Agradeço a gentileza Tsukino-san, mas não precisa.

╰☆╮  Ela fez uma reverência e foi indo até sua bicicleta.╰☆╮

- Precisa de mais alguma coisa?

╰☆╮ Disse antes de simplesmente tirar o descanso e montar nela, queria ser educada e definitivamente não fazer ninguém ficar insatisfeito com o serviço do mercadinho.╰☆╮

Toshiaki fez questão de pensar um pouquinho para não desperdiçar o esforço dela.

— Não! Muito obrigado Etsuko-san, eu realmente espero que você vá rapidinho pra casa hein?

Mas antes dele deixar ela ir, deu uma batidinha com sua mão na cabeça.

— Mas que cabeça a minha! Etsuko-san, por favor retorne aqui amanhã, preciso que me ajude a levar algumas coisas para o mercadinho, está bem? Vou lhe esperar as oito horas.

╰☆╮ Etsuko gostava de manter um sorriso no rosto, mas é verdade que esse –san estava sendo um pouco incomodo agora. ╰☆╮

- Quando eu voltar amanha, me chame de Etsuko apenas.

╰☆╮  Ela subiu na bicicleta e sorriu mais uma vez.╰☆╮

-Boa noite, Tsukino-san, nos vemos amanhã pela manhã.

╰☆╮ Ela iria voltar o mercadinho agora e depois iria para casa. Seu estômago está fazendo objeções sobre ser ignorado mais uma vez, podia sentir a fome surgir mais forte enquanto perdia calorias pedalando.╰☆╮


Última edição por Lih em Ter Jul 01, 2014 4:53 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Lih
Admin

Mensagens : 5141
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 26

http://scarletrosescans.blogspot.com.br/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ramificações flamejantes - posts

Mensagem por Lih em Ter Jul 01, 2014 4:52 pm

5 de maio, segunda, 2014 - Quente.

O verão de uma cidade como Ishika, é bem quente e úmido também, tornando tudo abafado e o cultivo meio complicado de muitas coisas, mas tudo bem. A cidade é bem abençoada neste quesito.

Logo depois que Etsuko partiu, um estranho de uns dois metros e meio de altura apareceu no portão de Toshiaki, sabe-se lá deus o que era aquilo, mas Toshiaki o recebeu em sua casa e antes do amanhecer, a criatura havia se ido.

Aproveitando a Golden Week para cuidar de sua casa, Toshiaki pode ser encontrado no jardim dos fundos, com calças escuras, as botas, e luvas, mas sem camisa, suando embaixo do Sol, e ele adora muito isso! Tudo que representa natureza, está bom pra ele. Não esqueceu de Etsuko, por isso o portão está aberto e um gatinho preto está sentado a frente dele. Queria dormir, mas concordou em mostrar para a menina que o portão está aberto. Ela poderia entrar com a bicicleta também.


O gatinho que está no portão: http://prntscr.com/3g9n33 (ele tem essa forma estranha de desenho mesmo, só que em 3D).

╰☆╮ Etsuko fez algo simples para comer quando chegou em casa, era só pra ela, não tinha porquê se esforçar demais, comeria qualquer coisa. Foi dormir logo, estava bem cansada. Trabalha o dia inteiro e isso é puxado para quem nunca fez nada, mesmo assim estava bem com isso.

Acordou próximo das sete horas da manhã e foi tomar um banho e se vestir para trabalhar de novo. Penteou seus belos cabelos vermelhos e os prendeu em um rabo de cavalo. Colocou um boné, passou protetor solar e conferiu o visual mais uma vez. Usava um short jeans confortável, curto, mas não demais, um tênis branco e roxo de caminhada e uma blusinha de alças num tom de azul bem fraco. Pegou a bicicleta e seguiu para a casa de Toshiaki antes mesmo de ir para a loja. Começara a sentir um pouco as dores pela falta de costume com os exercícios constantes, mas logo se acostumaria. Quando chegou em frente a casa do rapaz desceu da bicicleta notando o portão aberto. Não ia sair entrando sem ser convidada, então pensou no que fazer. Vendo que ali havia um gatinho, ficou encarando-o.
╰☆╮

O gatinho se virou, bem como alguém que solta um "Hmph" e fez espaço para passar pelo portão mostrando que está aberto, então a senhorita poderia entrar tranquilamente, afinal, ele está esperando.

O felino iria seguindo, contornando a residência por uma trilha de grama, a grama mais verde e mais bela que ela já viu, dá até pena de pisar. Logo ela veria Toshiaki, em meio a muitas rosas de diversas cores e ele tem um sorriso muito verdadeiro.


╰☆╮ Etsuko não é acostumada com animais. É um pouco mais difícil pra ela compreendê-los. Estava sozinha diante de um portão aberto. Se interpretasse as entrelinhas, era um convite para que entrasse sem precisar bater ou tocar a campainha. Esperava mesmo não estar entendendo errado, não está querendo desagradar ninguém, mas foi chamada para vir ali, não foi? Não devia ser um problema. ╰☆╮

- Bem... Com licença...

╰☆╮ Disse para o vento e entrou na casa. Ali tem plantas tão bonitas que perdeu uns instantes admirando-as novamente. É o lugar mais diferente em que esteve até agora e se sentiu bem nele. Foi caminhando então. Tsukino devia estar do lado de fora mexendo com a terra de novo, não é? Ela esperou que sim, seria mais fácil assim. Até a grama é bem cuidada nesse lugar, é um pouco engraçado o quão cuidadoso ele pode ser. Deve amar mesmo isso. Quando o avistou, parou e o fitou próximo as rosas. Que rosas maravilhosas... Estava impressionada, acabou não dizendo nada. ╰☆╮

Toshiaki parecia não a ver por um momento, mas logo se virou, surpreso.

— Oh! Etsuko-san, certo?

Ele se levantou do meio das plantas e sorriu para ela. É um belo sorriso de dentes bem cuidados.

— Desculpe chamar você tão cedo. Vamos pegar os óleos pra você não perder tempo do serviço.

Toshiaki foi batendo as roupas pra tirar o máximo de terra, tirou as luvas também e as botas, antes de entrar de fato em casa. É uma casa espaçosa, tradicional e linda, muito limpa e bem cuidada. Além dos cômodos normais por onde eles passaram, da pra notar que em todo canto tem alguma coisa de plantas, nem que sejam pinturas e vários cômodos como se fossem laboratórios de cientistas loucos, mas eles finalmente chegaram ao seu depósito, onde já haviam três caixas médias cheias de óleos de várias cores, todos bem trabalhados.

— Você leva uma caixa e eu levo as outras duas já que tenho a moto também, pode ser, Etsuko-san?

╰☆╮ Etsuko foi desperta para o mundo real ao ouvir o “Etsuko-san” novamente. Ela respirou fundo. ╰☆╮

- Etsuko apenas.

╰☆╮ Ela o acompanhou pelos corredores da casa dele. Era uma casa linda, ela podia jurar que era mais limpa que a dela. Passa a maior parte do tempo no mercadinho, não tem tanto tempo assim pra sua casa, no entanto não a desarruma. Só sente que ela está precisando de uma passada de pano aqui e ali. Mas não se pode negar que ele tem coisas bem estranhas em casa que a deixaram bem curiosa e fizeram pensar em com que tipo de pessoa estaria lidando agora. Balançou a cabeça afastando os pensamentos, não eram muito ruins, mas não parece hora pra isso, tem que ter foco no trabalho. Quando deu por si estavam num depósito e ele lhe fizera uma pergunta.╰☆╮

- Hm...? Ah....! claro, mas eu poderia fazer duas viagens se precisar e levá-las eu mesma. Não precisa se incomodar, Tsukino-san é muito gentil, mas já deve estar muito ocupado com... Seu jardim. Eu posso fazer isso.

╰☆╮ Ela de fato não chegou a cogitar que as caixas poderiam vir a ser pesadas. Etsuko pode ser jovem, mas não tem tanta força física assim, já que não fazia nada. Começou a se esforçar de verdade apenas nesses últimos dias e já sente algumas dores pela falta de costume, mas por outro lado também precisa provar pra si que de agora em diante tem e pode se virar sozinha.╰☆╮

- Então... Vamos a primeira.

╰☆╮ E destemidamente foi tentar pegar a primeira caixa para levar até a sua bicicleta.╰☆╮

Toshiaki nunca poderia ser tão íntimo com alguém que acabou de conhecer, é tão errado para ele que chegou a ficar sem jeito no rumo até o depósito.

— É Golden week, eu posso largar o jardim por uns momentos e ajudar você. São bem pesadas!

E garotas não devem ficar carregando peso por aí sem necessidade. Mesmo assim, colocou as mãos na cintura e ficou observando Etsuko se deparar com um grande peso, segurando um riso.

╰☆╮ A única coisa da qual Etsuko pode ser acusada é por tentar. Ela percebeu que as caixas eram pesadas quanto tentou pegar uma delas, mas a força que tem não é suficiente. Cansou-se logo. Sentiu os braços meio doloridos e se afastou. A mesma situação acontece quando tem que lidar com algo pesado em casa. Talvez não possa lidar com tudo sozinha. Ficou olhando um pouco decepcionada pras caixas e disse:╰☆╮

- Não tem mais leve?

╰☆╮ E soltou um suspiro.╰☆╮

Toshiaki deu um tapinha de leve no ombro dela.

— Eu posso por metade delas numa outra caixa e você leva, enquanto eu levo as outras.

Ele a olhou bem, sugerindo que aceitasse a ajuda.

— Não tem problema precisar de ajuda, sabia?

╰☆╮ Ela o fitou ponderando, não sobre a proposta das caixas, mas sobre precisar de ajuda. Respondeu-lhe num tom bem leve: ╰☆╮

- Não tem problema precisar de ajuda, mas tem problema não poder se virar só quando não há opções. Todo mundo tem que aprender a se virar sozinho. Tem sempre o dia em que não vai ter ninguém.

╰☆╮ Ela passou a mão nos braços sentindo seus músculos reclamões e sorriu. ╰☆╮

- Tsukino-san... Vou levar em caixas menores então.

╰☆╮ E manteve seu sorriso, que apesar de tudo é tão cheio de vida quanto seu cabelo. ╰☆╮
avatar
Lih
Admin

Mensagens : 5141
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 26

http://scarletrosescans.blogspot.com.br/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ramificações flamejantes - posts

Mensagem por Lih em Ter Jul 01, 2014 7:05 pm

Toshiaki se manteve prestando atenção e Etsuko notaria que ele sabia bem do que ela falava

— Caixas menores então...

Disse sendo furtivo sobre o assunto meio tristinho que acabou pensando. Com a ajuda dela, iria arrumar tudo em outras caixas menores e iria ajudá-la a levar também.

— E já que estou alugando você, que tal almoçarmos juntos?

 Ele a convidou no meio da arrumação.

— Podemos cozinhar ou podemos ir na cidade também.

╰☆╮ Normalmente apenas o cabelo de Etsuko é vermelho. Ela estava distraída, tentando se centrar no trabalho que tinha para fazer com Tsukino-san, mas se ouvira bem agora mesmo ele a acabara de convidar pra almoçar. Por isso seu rosto tomou uma tonalidade avermelhada. Ele é bonito, não tem como olhar pra ele e não se interessar. Ela virou o rosto e procurou se controlar. Preferia não ter se mostrado sem jeito agora.╰☆╮

- Tsukino-san... Você gosta de pegar as pessoas de surpresa desse jeito?

╰☆╮ Ela respirou fundo. O coração acelerou, é uma sensação boa apesar de tudo, mas de algum modo é uma sensação nova.╰☆╮

-Eu não costumo ter companhia para o almoço, então eu aceito, se me chamar de Etsuko. Eu sei que não nos conhecemos muito bem, mas eu prefiro meu nome sem o -san. Não sou nada –san...

Toshiaki não deu bola pra vermelhidão do rosto dela, vai ver estava com calor. Ele é assim desatento e não parecia muito interessado também. Provavelmente ela só não é convidada pra algo com frequência.

— Considere o almoço um pagamento pelos seus serviços, Etsuko-san.

Ele não consegue deixar de colocar o honorífico apropriado, é um rapaz muito educado que foi bem criado pelos pais.

— Leve as caixas e depois vemos o que fazer, hm?

E ele é um homem amigável, porém, cabeça nas nuvens quando o assunto é mulher. Raramente se interessa por qualquer uma, faça ela o que fizer. Teve uma namorada, vários primeiros encontros e alguns beijos, mas nada muito intenso. O que chama mais atenção pra ele é a cor do cabelo dela e o que as flores dizem sobre a garota.

╰☆╮ Etsuko franziu a testa. Parecia incomodada e não era pouco. O vermelho desapareceu, agora eram seus olhos azuis que tinham algo de flamejante, embora não fosse nada de mais e não envolva nenhuma mudança de cor. ╰☆╮

- Não. Eu já me decidi.

╰☆╮ Ela foi terminando de arrumar as caixas para levar para a bicicleta.╰☆╮

- Não vou almoçar com você pra pagar sua dívida.

╰☆╮ Era isso o que tinha lhe incomodado.╰☆╮

- Não tem que me pagar nada, Tsukino-san. Já sou bem remunerada pela senhora do armazém. Se quiser fazer algo de bom mesmo por mim, pare de usar o -san, isso é chato e desnecessário e me ajude a ter um jardim. É só o que tenho a dizer.

╰☆╮ E caso encerrado, foi levar a primeira caixa para a bicicleta.╰☆╮

Toshiaki se curvou um pouco.

— Sinto muito se a ofendi de alguma maneira Etsuko...chan.

Ele que ficou todo vermelho agora, tamanha ousadia em chamá-la assim, de um jeito tão íntimo. Em meio a vermelhidão de sua face, um sorriso apareceu, mais contente do que nunca.

— É sério?! Você gostaria que eu fizesse seu jardim?!

A esperança de um menino se reflete nos olhos de Toshiaki, ele ama fazer trabalhos relacionados a sua paixão.

╰☆╮ Uma coisa sobre ele ela tem certeza de que sabe. Ele ama estar em contato com a natureza e cuidar de plantas. Ela pôs a caixa na bicicleta antes de dar alguma resposta afirmativa, já que segurar isso poderia ser cansativo pra ela, sem preparo físico. Depois disso sim, tomou fôlego e foi lhe dirigir a palavra.╰☆╮

- É, mas nada complicado. Eu não sei manter plantas vivas, então se tiver algo que não seja muito sensível e precise de muitos cuidados vai ser perfeito pra mim. Quanto você quer pelo seu trabalho? E ah... Garanta que não seja alguma coisa que atraia muitos insetos. Eu não gosto de abelhas.

╰☆╮ Só de pensar num ferrão de abelha em sua pele já sente calafrios.╰☆╮

Toshiaki foi lhe acompanhando e lhe guiando também, para ir pela trilha do jardim sem tropeçar em nada e acabar se machucando.

— Não vou lhe cobrar, é algo que eu amo...mas eu trabalho de um jeito diferente. Garanto que insetos não a incomodarão de jeito nenhum.

Infelizmente um jardim sem abelhas, é um jardim morto. Elas não machucariam Etsuko.

— Se ainda quiser que eu faça o seu jardim, farei com prazer!

╰☆╮  Etsuko foi prender a caixa corretamente na bicicleta para que se algo acontecesse, não caísse e danificasse os produtos.╰☆╮

- Sim eu quero, já não disse? Você parece excelente com isso. Pode dar um pouco mais de graça a minha casa. Ao menos mais alguma coisa viva além de mim vai morar lá. Menos insetos, não gosto de insetos.

╰☆╮ Como a maioria das mulheres.╰☆╮

- Mas seu trabalho não pode ser de graça.

╰☆╮ Ela voltou a fitá-lo já que terminara. ╰☆╮

- Tem algo que eu possa fazer por você?

— Almoçar comigo.

Ele disse na maior inocência.

— É tudo que você pode fazer, logo a golden week acaba e tenho que voltar ao trabalho.

╰☆╮  Etsuko franziu a testa.╰☆╮

- Não vou pagar dívidas com almoços também. Almoços precisam ser bons e divertidos. Se eu almoçar com você apenas por coisas assim, não vale a pena. Me convide pra almoçar quando estiver interessado em me conhecer e me fazer companhia.
avatar
Lih
Admin

Mensagens : 5141
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 26

http://scarletrosescans.blogspot.com.br/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ramificações flamejantes - posts

Mensagem por Lih em Ter Jul 01, 2014 7:45 pm

— Ah...

Toshiaki respirou fundo e encarou o gatinho ao seu lado. Este parecia lhe dizer algo, mas nada se ouvia, os dois só se olhavam.

— Eu quero te conhecer, só achei que precisava de uma boa desculpa.

╰☆╮  Etsuko arqueou a sobrancelha.╰☆╮

- Que tipo de desculpas...? Não precisa de desculpas a menos que queira me fazer mal. Se for pra me fazer mal, pode ser frustrante, ninguém vai sentir minha falta, você não vai fica famoso pelo crime, então não me sequestre, estupre ou mate. Eu juro que não conto pra ninguém.

Toshiaki não entendeu nada. Será que tinha dito algo completamente diferente do que pretendia? Ele só não queria chamá-la de um modo que desse atender outras intenções.

— Ahm...eu acho que tenho sérios problemas de comunicação...

╰☆╮ É verdade o que Etsuko disse. A verdade absoluta no fim das contas. Não tem ninguém que vá sentir falta dela nesse mundo e isso a puxou pra baixo por uns instantes.╰☆╮

- Tsukino-san, é melhor voltarmos ao trabalho.

╰☆╮ Acabou não dizendo sim ou não para o almoço.╰☆╮

Toshiaki está acostumado a mandar mal com seres do sexo oposto. Ele realmente não é bom em se comunicar assim com pessoas, mas ainda não conhecia muito bem a menina nova na cidade, isto era apenas parte de um ritual de locais pequenos.

— Claro, vamos.

E depois de tudo ser feito, Etsuko ganharia uma garrafa de óleo natural de Toshiaki, de suas mãos para as dela. Não como agradecimento pelo serviço, mas porque ela precisa. É um óleo que ela deve esquentar nas mãos e passar pelo corpo depois do banho ou quando se sentir muito tensa. Tem propriedades excelentes para a pele também, ajudaria nas dores musculares e claro, em sua solidão também.

— Quando gostaria que eu começasse a fazer seu jardim?

╰☆╮ Etsuko agradeceu pelo óleo natural, só resta lembrar-se de usá-lo quando estiver em casa, depois de um banho. Quando ele lhe perguntou sobre o jardim, respondeu-lhe não muito animada agora:╰☆╮

- É melhor que apareça antes que eu saia pra trabalhar ou ninguém vai te receber.

Por que será que Etsuko tinha desanimado? Toshiaki não conseguia pensar em nada que fosse o motivo, além das suas tristezas atuais.

— Eu tenho um negócio na capital e hoje é o último dia da golden week, então eu só tenho tempo a noite.

Mas ele quer mesmo fazer um jardim para ela.

- Hm...

╰☆╮ Ela ponderou um pouco e depois balançou a cabeça positivamente. ╰☆╮

- Se tiver com disposição, apareça lá a noite então. Se eu não estiver em casa, é só empurrar o portão e entrar.

Ele deu um largo sorriso.

— Tudo bem!

E agora era hora de voltar pra sua casa e deixar Etsuko trabalhar. Ele ainda tem muita coisa para fazer e arrumar para voltar ao trabalho amanhã. No caminho do caminho, já longe do centrinhoda cidade, o vento soprou diferente ao redor de Toshiaki. Hoje ele tem outro cliente fora do comum, mas já está acostumado com o sobrenatural a essa altura da vida.

╰☆╮ Etsuko procurou se distrair com o trabalho hoje também. Ao longo do dia estava mais animada, embora no fim do dia se sentisse bem cansada. Ir pra casa descansar pareceu ótimo hoje, mas ficaria até a senhora não precisar mais de sua ajuda, como todos os dias, afinal está ali pra isso. O tempo todo olhou para o óleo que Toshiaki lhe presenteou com certa curiosidade. Será que isso funcionaria mesmo? Esquentar nas mãos e passar em si... Seria mais interessante ter outra pessoa para lhe fazer uma massagem.╰☆╮

Toshiaki passou a tarde deitado no jardim, fuçando livros de jardinagem e depois que rabiscou pela enésima vez metade deles, tinha um plano, então partiu para rabiscá-lo num papel, só pra poder dar uma ideia pra ela das coisas. Hoje, por volta das 21h ele estaria na frente da casa dela. Ela já teria sido liberada do trabalho hoje, mas ao invés de bater palmas ele se distraiu observando o solo.

╰☆╮  Etsuko acabara de tomar um banho. Gosta de ficar confortável em casa, então colocou um top num tom cinza claro e um short bem curto, branco. Não há nada de interessante nessas peças além de suas curvas. Devia preparar algo para comer, mas viu alguém olhando do lado de fora. Era Toshiaki, cumprindo seu pedido tão breve quanto possível. Olhou para si em seus trajes e foi atendê-lo. Não faz sentido deixá-lo continuar seu jardim se for ter que ficar tendo cuidados com o jeito como se veste. Está em casa, quer relaxar depois de 1 dia de trabalho. Se preocupar está fora de cogitação.╰☆╮

- Tsukino-san? Por que está ai? Poderia ter entrado.

╰☆╮ Ela abriu o portão então. Não estava trancado.╰☆╮

Toshiaki ficou sem jeito, começou a rir bem solto.

— Sinto muito, Etsuko-san...acho que me distraí! Estava olhando o solo da sua casa.

Ele deu um largo sorriso. Adicionou ao visual uma camiseta rosa salmão de mangas curtas e carrega uma mochila verde musgo que parece bem cheia.

— Se eu puder começar agora, adoraria! Você se importa?

Apesar de não ser cego e já saber que garotas podem ser muito bonitas, Toshiaki não ligou pro que ela estava vestindo. É a casa dela, não tem nada a ver com suas horas de conforto.

╰☆╮ Etsuko sorriu.╰☆╮

- Claro. Vai precisar de alguma ajuda? Quer que eu mostre a casa? É tudo bem acessível, mesmo que eu não mostre vai encontrar e o que não encontrar, provavelmente não tenho. Gostaria de tomar alguma coisa antes de começar?

╰☆╮ Ela sabe que fez pergunta atrás de pergunta, então riu um pouco. De repente está animada. É a primeira pessoa que a visita em casa, desde sempre, mesmo que ele não tenha entrado na casa em si. Sua vó sempre preferia que visitas não viessem. Pra variar era o cara mais famoso da cidade e o mais bonito que viu também. Talvez devesse ter se arrumado um pouco melhor pra recebê-lo, mas só pensou nisso agora.╰☆╮

Toshiaki ficou um pouquinho zonzo com tantas perguntas, mas acabou rindo também. Ainda não tomado um banho, mas ia continuar trabalhando então tudo bem, ao seu ver.

— Não, eu prefiro não sujar sua casa com meus pés sujos...e todo o resto! E nem se preocupe com ajuda, eu me viro aqui tranquilamente, estou acostumado.

Quase todos os jardins são cuidados por Toshiaki ali, mas nem todos são como o dele, é claro.

— Eu só quero lhe mostrar a ideia que eu tive pro seu jardim, ver se você está de acordo com sua futura paisagem. Imagino que queira relaxar, então...

Ele remexeu na mochila quando tirou o braço de uma das alças e desdobrou um papel daqueles para plantas de casas e etc. Era um jardim colorido, mas em harmonia de cores e tipos de plantas. Todas de fácil manuseio e umas duas árvores, uma até frutifera ou as duas se ela quiser, da fruta que ela quiser. Sentar na varanda estava ótimo pra ele.

╰☆╮ Etsuko ficou maravilhada com a ideia de ter um jardim desses. Ele fez tudo isso hoje? Que dedicado!╰☆╮

- Ahhh... Mas é serio que posso ter algo assim?

╰☆╮ Ela suspirou pensando nessa ideia. Tão bonito... Mudaria completamente a visão que ela tem dessa casa com certeza.╰☆╮

- Tsukino-san, é tão bonito.

╰☆╮ Ela suspirou enquanto se perdia em sua imaginação.╰☆╮

- Por que se preocupar com a sujeira que pode deixar na casa? Eu posso limpar... Não tem problema... Com esse jardim, não existe problema.

╰☆╮  E riu um pouco. Mal podia esperar por isso.╰☆╮

Toshiaki adora ver a felicidade de outras pessoas e sabe que a natureza proporciona grande parte dela, então tirou as botas e iria entrar na casa de Etsuko, com a devida etiqueta.

— Adoraria ver sua casa, Etsuko-san.

- Ah... Claro~~...

╰☆╮ Suspirou. Estava se sentindo apaixonada pelo jardim. Nem percebeu o –san que ele usara.╰☆╮

- Me acompanhe... Tsukino-san.

╰☆╮ Seguindo para a entrada, deu um par de chinelos para Toshiaki e calçou um também. Não é de ter visitas, mas tem tudo para tratá-las apropriadamente. A casa estava limpa e tem um cheiro agradável. Ela é simples, sua decoração é pouco, se nota de longe, mas apesar de tudo parece confortável. O fato de não ser exagerada em móveis é que parece ser seu atrativo, apesar de pequena isso a torna espaçosa. Ela mostrou cada cômodo, menos o seu quarto. Talvez dê pra reparar que ali não há uma linha telefônica, embora ela não tenha mostrado o quarto. Não há um balde de tecnologias ali, o que pode ser incomum já que ela é jovem e comunicação é quase uma necessidade.╰☆╮

- Tem certeza que não quer uma bebida antes de começar a trabalhar? Também posso lhe fazer algo para comer, deve sentir fome depois de tanta dedicação, não é?

╰☆╮ Ela disse quando iam chegando a cozinha. Também estava limpa e organizada.╰☆╮

Toshiaki não ficou julgando e analisando meticulosamente a casa de Etsuko, só sentiu falta de mais cores e vida, mas para uma menina jovem que perdeu a avó, isso é esperado. Pois bem, Toshiaki decidiu apenas para si que ele melhoraria a vida desta garota.

— Na verdade, já que a senhorita insiste...eu adoraria um bolo! Pode ser do que você gostar, mas eu adoro de laranja...e suco, adoro suco.

Pensando melhor, ele iria precisar recuperar suas energias depois.

— E você também já pode me dizendo suas cores favoritas, que tal?

╰☆╮ Etsuko ficou fitando-o enquanto pensava se haviam ingredientes suficientes para um bolo a sua disposição. Tem certeza de que não comprou laranjas.╰☆╮

- Eu acho que vou ficar te devendo as laranjas... Mas... Que tal um bolo de melão?

╰☆╮ E suspirou, não está muito contente em não cumprir as expectativas.╰☆╮

- E a minha cor é o vermelho, não deu pra notar?

╰☆╮ Deu um sorriso e passou a mão direita nos cabelos avermelhados.╰☆╮
avatar
Lih
Admin

Mensagens : 5141
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 26

http://scarletrosescans.blogspot.com.br/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ramificações flamejantes - posts

Mensagem por Lih em Ter Jul 01, 2014 8:21 pm

Toshiaki notou os belos cabelos de Etsuko desde o primeiro em que a viu, mas ele também notou diversas coisas sobre ela, que nem haviam sido mencionadas.

— Pode ser o bolo que você quiser, Etsuko-san, é que eu realmente adoro bolo, sabe?

Ele foi se situando na cozinha, resolveu botar os desenhos na mesa dali.

— Espero que não se importe se eu virar a noite no seu jardim, não vou perturbar seu sono. Prometo.

E ele fala sério mesmo.

╰☆╮  Não era nada comum a presença masculina naquela casa e nem em nenhuma outra em que tenha morado. Ela foi fazer um suco de morango pra ele, antes de começar um bolo.╰☆╮

- Tsukino-san...

╰☆╮ Ela foi pegando o que precisa para preparar tudo e então disse:╰☆╮

- Em vez de se preocupar com as minhas horas de sono... Que tal falarmos sobre as suas? E o seu descanso? Você também trabalha e nem é nessa cidade.

╰☆╮ A presença masculina ali não era o problema pra ela. Sequer cogitou se alguém poderia pensar mal disso, o que realmente lhe veio a cabeça mais uma vez foi o bem estar dele.╰☆╮

— Nâo se preocupe com isso!

 Ele riu despreocupado.

— Não vou demorar tanto assim.

- Bom, eu me preocupo.

╰☆╮   Ela não saberia afirmar uma razão em especial pra isso agora.╰☆╮

- Mesmo que ame o que faz, precisa de descanso. E um descanso adequado... O que quer dizer mais de 4 horas de sono... E um sono contínuo e tranquilo.

╰☆╮ Ela respirou fundo.╰☆╮

- Não vou deixar passar a noite inteira aqui. Não posso te fazer dormir, mas vou te impedir de trabalhar exageradamente pra mim.

Toshiaki ficou a fitando sério, sua cara séria é bem interessante até...não parece ameaçador, porque ela não quer isso.

— Vamos deixar a educação de lado então. Eu vou ficar até terminar o jardim, amanhã pela manhã ele vai estar pronto pra você e eu não vou estar mais aqui, mas eu trabalho de um jeito específico e se você quer um bom jardim por mim, essas são as minhas condições de trabalho. Se eu sentir muito sono, não tem problema, eu adoro dormir na rua.

╰☆╮ Etsuko parou tudo o que estava fazendo e o encarou.╰☆╮

- Não estou de acordo, Tsukino-san.

╰☆╮ Ela balançou a cabeça e respirou fundo.╰☆╮

- Se ter um belo jardim, implica aceitar essas condições que muito me incomodam, então eu vou recusar. Eu me importo e não consigo não fazer isso.

— Mas você não pode!

Parecia uma criança que tinha sido privada da sobremesa mesmo depois de comer o brócolis.

— Eu quero muito fazer seu jardim, eu fico até as onze horas, depois eu vou, que tal? Infelizmente assim, não posso garantir se ele vai ficar tão perfeito e teria que voltar aqui.

Ele fez bico, imaginou que seria incomodo ficar indo na casa dela.

╰☆╮  Eu posso, ela pensou. Mas não quis dizer isso. Primeiro preferiu ficar escutando-o, até que ele disse algo que a agradou. Ela sorriu e respondeu:╰☆╮

- Assim está melhor. Pode voltar quantas vezes quiser e precisar, Posso até te dar um lugar onde dormir se não tiver condições de ir pra casa. Será um prazer recebê-lo. Eu não tenho problema algum em tê-lo aqui, não me interprete mal. Você tem boa fama e parece ser uma boa pessoa, só não é agradável pra mim que trabalhe a noite toda pra mim.

— Certo!

Ele respirou fundo.

— Então eu vou parar de enrolar e começar.

Está mais feliz com isso do que qualquer outra coisa, chegou a ignorar o convite dela se ele precisasse dormir ali, mas nunca faria isso.

Tá, mas ao menos tome o suco que vou preparar antes.

╰☆╮ Ela ainda iria lhe fazer o bolo de melão pretendido. Foi continuar com o suco de morango que tinha interrompido. Nada muito complicado, só iria bater, com gelo e adoçá-lo só um pouco. Era o tipo de bebida não alcoólica perfeita para o clima quente. Serviria-o em um bom copo e iria começar o bolo. Por sorte, sabe cozinhar bem, sua vó lhe ensinara.╰☆╮

— Ah! Que cabeça a minha!

Ele coçou a nuca e sentou direitinho a espera do suco, não criticou nada do que ela fazia, apenas ficou ali com um sorriso singelo.

- Aqui está...

╰☆╮ Ela entregou-lhe o copo cheio de suco geladinho e até pôs um canudo, só pra fazer graça.╰☆╮

- Se precisar de alguma coisa, avise-me. Não sei nada sobre jardinagem, mas vai ter que ensinar de qualquer maneira... Preciso manter o jardim, então pode me chamar.

╰☆╮ E então foi pegar ovos, tigelas, farinha, leite, melão e etc pro bolo... Está ouvindo enquanto faz as coisas.╰☆╮

— Pode deixar Etsuko-san, vou chamá-la sempre que precisar.

Depois de tomar seu suco com calma, lá foi Toshiaki começar 'os trabalhos'. Colocaria suas luvas especiais e faria sua mágica, literalmente, enquanto arava a terra, remexia e fertilizava de acordo, separando inicialmente por cerquinhas o que seria onde, aceleraria a fertilização do solo, nada visivelmente vísivel por enquanto. Ele tirou uma folga depois de monitorar o solo por três horas e fazer diversos testes nele, queria um pedaço de bolo e mais suco, enquanto mostrava a Etsuko o que seria onde. Pediu para ela escrever em plaquinhas que ele trouxe, os nomes do que ia dizendo, assim ela não se perdia no inicio.
No inicio da noite, já havia colocado todas as sementes, com bastante calma e carinho.


╰☆╮  Etsuko preparou um bolo bem gostoso e fofinho, mas ela mesma não chegou a comê-lo. Cortou em vários pedaços para servir Toshiaki e arrumou tudo impecavelmente em uma bandeja. O suco seria o mesmo de antes, mas seria preparado outro, bem fresco e gostoso... Gostoso como ele podia ser trabalhando no futuro jardim dela. Sentiu as bochechas corarem ao observá-lo escondida. Ah, tinha um rapaz lindo em sua casa e estava sozinha com ele... Mas a fantasia acaba aí, ele não está interessado nela, só no trabalho. Balançou a cabeça enquanto se afastava e foi lavar a louça enquanto esperava ver se ele precisava de algum auxílio. Está começando a sentir o cansaço pesar um pouco e seu corpo esta dolorido, mas quando ele finalmente a chamou foi até ele sem fazer cerimônia e parecendo enérgica. Se sentiu boba ao pensar que acabaria fazendo qualquer coisa se ele lhe olhasse nos olhos e pedisse com jeitinho. Escreveu nas placas de maneira bem legível, exatamente o que ele disse. ╰☆╮

Toshiaki comeria bastante o bolo e tomaria bastante suco, afinal, é cansativo trabalhar assim, apesar de prazeroso demais. No ínicio da noite, estava tudo pronto para florescer. ele disse que antes de dormir ela só tinha que regar, e mostrou como se faz corretamente isso, deixando um regador com ela, claro que ele também não é nada comum, ela pode jurar que ele é feito de folhas e ramos, mas pode ser só um plástico entrelaçado também. Não é grande e tem um cheiro gostoso de ervas.

— Bom, Etsuko-san...

Sem camisa, suadinho, com cheirinho de fertilizante e um pouco cansado, Toshiaki tirou as luvas, bateu e enfiou na mochila, depois passou as duas mãos nos cabelos, que suados, ficaram bem bagunçados.

— Meu trabalho por hoje está feito!

O pátio dela emitia outra aura agora, tinha outra cara também. Toshiaki se espreguiçou erguendo os braços, apenas por precisar e nunca para exibir o físico bem cuidado a base de muito trabalho braçal.

╰☆╮ Ficar perto dele lhe trazia uma sensação diferente. Ah... Era o calor, mas era tão gostoso, tão bom. Não conseguia não olhar pra ele... Não suspirar quando ele lhe pedia algo. E quando ele estava se despedindo depois de toda aquela pose sensacional em sua visão, sequer sabia o que ele tinha dito. Deve estar louca... Completamente louca. Ele é tão lindo e desejável. Suas bochechas estavam tão coradas que se igualavam ao vermelho dos seus cabelos, mas isso não importava... O que importava mesmo era... Ah... Ele é maravilhoso.╰☆╮

- Humm~~

Toshiaki colocou sua camiseta e se perguntou se ela estava mesmo bem, mas ele não é burro e está até acostumado a ver garotas reagindo assim. Se não fosse melhor trabalhar sem a camisa, ele ficaria com ela pra evitar essas coisas, mas até que acha legal. Ficou um pouco sem graça enquanto pegava sua moto e partia para casa. Ela só precisava seguir as instruções dele, que deixou escrita por via das dúvidas, uma letra impecável por sinal.
Durante boa parte da noite, receberia suas visitas incomuns disfarçadas pela escuridão e faria seu trabalho.


06 de maio - terça - ensolarado

╰☆╮ Quando Toshiaki foi embora Etsuko até ficou triste. Esses momentos que passou com ele lhe fizeram tão bem... Ficar sozinha agora a noite lhe deprimia. Comeu alguma coisa, e foi tomar outro banho. Usou o óleo que ele lhe dera só pra ver se funcionava mesmo e deitou-se. Pensando nele, adormeceu. Teve bons sonhos... Bons até demais.

Quando o dia amanheceu estava se sentindo melhor. Mas não parava de pensar naquele rapaz maravilhoso trabalhando em seu jardim. Quando viu a hora percebeu que estava atrasada pro trabalho. Se vestiu correndo, nem teve tempo de tomar alguma coisa e saiu correndo atrás da bicicleta guardada na varanda para poder chegar ao mercadinho.
╰☆╮

Bem cedinho de manhã, Toshiaki foi para a capital trabalhar na floricultura, está tranquilo pois o jardim de Etsuko estava bem. Por sair atrasada, ela pode não ter notado, que tudo estava na metade do tamanho adulto já.

O óleo a faria se sentir melhor, bem melhor. Além de deixar sua pele linda e bem limpinha, fazia o cansaço parecer nada e seus músculos estariam renovados, prontos pra mais trabalho.


╰☆╮ Ela teve que parar e ver o jardim, não podia acreditar no que estava acontecendo. O que era aquilo? O que ele tinha feito? Levaria pelo menos uma semana pra ver alguma coisinha no chão e com ele... da noite para o dia...╰☆╮

- Não posso acreditar...

╰☆╮ Ia trabalhar pensando nisso, mas a noite... A noite queria ir vê-lo... Iria para casa dele assim que terminasse o expediente e ficaria esperando-o se não estivesse em casa.╰☆╮
avatar
Lih
Admin

Mensagens : 5141
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 26

http://scarletrosescans.blogspot.com.br/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ramificações flamejantes - posts

Mensagem por Lih em Ter Jul 01, 2014 8:51 pm

Etsuko poderia esperar o quanto quisesse. O portão estava com cadeado, é verdade, mas era mais um enfeite. O gato está sentado em cima do muro, mas mal mia, só deu uma olhada em Etsuko e ficou a lamber sua pata, majestosamente. 19, 20, 21, 22, 23h. Por volta desse horário, algo bem fantástico ocorreu bem próximo de Etsuko. Ali na área que Toshiaki mora é tudo deserto, o resto das pessoas mora bem longe, pro outro lado, ou no centro, mas ele faz questão de morar bem isolado, porque será? Etsuko poderia sacar essa agora mesmo.

Sons estridentes, raios e luzes bem na frente de sua casa, um portal vermelho e preto cheio de raios a sua volta se abriu e se ele tivesse consciência de quantas vezes se abre e fecha, começaria a cobrar pedágio ou entraria em depressão pelo trabalho escravo e monótono. De dentro dele saiu uma criatura de uns três metros de altura, coberta totalmente por uma capa com capuz. Ela (a criatura), não andava, flutuava a poucos centimetros do chão. O portal fechou e foi como se nada daquilo jamais existisse. A criatura levantou a cabeça fitando Etsuko e soltou um 'hmm' com uma voz bem profunda. Se postou atrás dela, como se fosse uma fila, e de fato, era o ínicio de uma. Não disse nada, mas Etsuko pôde ver seus olhos, que são suas orbes brancas cintilantes dentro do capuz, nada mais era revelado.


╰☆╮ As horas passam de uma maneira bem entediante. Devia ter ido em casa, tomado um banho e comida alguma coisa antes de ficar ali em pé durante todo aquele tempo. Estava começando a ficar impaciente... E por que ele tinha que morar longe de tudo? Não dava nem pra comprar uma besteira qualquer pra comer. A magia estava perdendo seu efeito, até que de repente alguma coisa muito estranha começou a acontecer. Ela recuou até encontrar os muros da casa dele, que o impediriam de recuar mais. Ah... O que estava acontecendo? Estava tão chocada com o que via que nem percebeu que parou de respirar. Estava assustada, principalmente com o que saia daquela luz avermelhada esquisita. Era algum tipo de magia? O que estava acontecendo! Ela não gritou, porque não conseguia fazer nada além de tremer, em pânico, aterrorizada. Não conseguia, nem tentava fazer nada... ficou paralisada. Seu coração batia tão rápido, tão forte... Se sentiu tonta e tudo ficou pior quando aquela criatura posicionou-se atrás dela. Não era nada fofinho... era assustador, sequer conseguia encará-lo. Foi um pouco demais... Sentiu as pernas bambearem e por fim desmaiou.╰☆╮

- Ops...

A voz disse ao segurar a moça em seus braços, mãos grandes e estranhas, cobertas pela escuridão da noite. A fila foi aumentando, vários portais dimensionais se abriam, várias criaturas saiam das proximidades da casa de Toshiaki e o gato...o gato organizava a fila e perguntava a necessidade de cada um dos clientes especiais de Toshiaki. Quase uma hora depois, o próprio chegou, comprimentando todos na fila, ouvindo Doutor em idiomas muito, muito esquisitos, de vários tipos de criaturas. Deídades locais, espíritos querendo consultar para sua família ainda viva, alienigenas, criaturas de outros planos do planeta Terra, todo tipo de ser, humano ou não, aparecia por ali. Isso inclui vampiros, bruxas, metamorfos e o que mais a imaginação permitir. Estão todos em fila conversando ou não, lendo grimórios, mexendo em dispositivos de alta tecnologia nunca sonhada pelos homens da Terra, mas todos ali por uma pessoa, que notou Etsuko nos braços do primeiro da fila.

— Oh, Obelin-san!

- Eu...acho que assustei sua amiguinha.

Toshiaki sorriu gentilmente.

— Não é sua culpa, amigo. Ela nunca viu nada extraordinário, eu acredito...

- Mas chefinho...

É assim que chama Toshiaki.

— Não se preocupe! Eu sei que ela também é diferente, então você não fez de propósito. Vamos entrando e se acomodando gente, por favor. Vou servir um chá de erva para todos, desculpe o atraso. O trânsito, esse trânsito!

E todos ali começaram a falar sobre o trânsito de seu local.

Ele pegou Etsuko nos braços, e só por tocá-la, ela já se sentiria menos aterrorizada e poderia dormir um pouco na cama dele, enquanto ele atendia seus clientes, um por um, com muita calma.


╰☆╮ Quando Etsuko acordou se perguntou se o que acontecera não era só um sonho... Devia ser, estava em uma cama agora. Mas não era sua cama. De quem era essa cama? De quam era esse quarto...? Se sentou ali e se perguntou por que estava ali. ╰☆╮

- Hm...

╰☆╮  Estava inteira, nada parecia errado, então se levantou e foi caminhando até a porta. ╰☆╮

O quarto de Toshiaki é bem normal...para um botânico herbologista. Tem anotações espalhadas pela escrivaninha, vários livros do assunto, alguns mangás, seu guarda roupa é bonitinho, organizado, sua cama é média e bem confortável e ele deixou o abajur aceso. Seguiria por um corredor com quadros de paisagens e depois acharia duas magas sentadas, com roupas típicas, uma adulta e uma criança com cara de doente, sentadas na sala, junto de uma fada que não conseguia parar quieta, era a última da fila. Um ser flutuante com seus tentáculos, e um helmo prateado em sua cabeça que é apenas uma orbe brilhante, saía do quarto a esquerda da sala, fazendo uns sons engraçados até. Toshiaki foi até a porta, está com o visual completo de médico...mas não um comum. Sem luvas, mas com botas de fibra de planta, um manto de fibra de planta também e uma prancheta na mão.

— De nada, não esqueça de voltar aqui na próxima semana e tome os remédios direito, por favor.

Depois de uns segundos dava pra ouvir o som de um portal lá fora e a criatura havia partido, então os olhos de Toshiaki encontraram Etsuko, parada ali. Ele balançou a cabeça lentamente, de modo positivo.

— Você acordou...por favor, fique calma ok? Ahm...

 Ele coçou a nuca, imaginando o que podia dizer.

╰☆╮ Não era sonho, nada era sonho. Era tudo verdade... Está no fantástico paraíso de criaturas esquisitas, é isso que pensou. Mas ela própria não podia se considerar normal, na verdade esse provavelmente também era o seu lugar, o mundo que não conhecia que acabara de lhe dar uma tijolada e se apresentar. Ela ouviu Toshiaki e balançou a cabeça, passou a mãos nos cabelos vermelhos e vívidos e lhe deus as costas. Ainda precisava compreender a história, não ia ficar histérica, mas era melhor dar meia volta e se sentar antes de qualquer coisa. Resolveu voltar pra onde veio, o quarto dele e sentou-se na ponta da cama, com uma expressão incrédula.╰☆╮

Como Toshiaki realmente precisava atender os últimos pacientes, era melhor deixar Etsuko refletindo sozinha um pouco. Cerca de uma hora depois, ele iria até o seu quarto, depois de lavar bem suas mãos e rosto, está normal hoje, nada de cheiro de fertilizante ou coisa similar, apesar de sua casa ter vários perfumes agradáveis. Se encostou no marco da porta.

— Etsuko-san, eu sinto que tenha sido assim que descobriu o extraordinário, mas...gostaria de conversar? Quem sabe, posso lhe oferecer um chá. O que acha?

╰☆╮ Etsuko estava olhando pro chão quando Toshiaki finalmente veio ao quarto. Tinha as mãos na cabeça e o cabelo escorria pelo rosto.╰☆╮

- Você é uma pessoa muito estranha. É por isso que mora afastado... é por isso que o jardim que plantou é desse jeito... É por isso que o meu jardim já estava praticamente pronto quando acordei hoje. O que você é? O que é que acontece aqui e o que eram aquelas criaturas?

╰☆╮  E então olhou pra ele com seus olhos azuis repletos de confusão.╰☆╮

Toshiaki só concordava balançando a cabeça.

— Sim, sim...isso mesmo senhorita. Eu sou esquisito, diferente e até um pouco maluco. Bom, não é muita novidade pra todo mundo que mora aqui nessa cidadezinha, afinal, sou o pequeno milagre daqui. Não que eles saibam os detalhes.

Ele passou a mão nos cabelos arrumadinhos, bagunçando um pouco e seus olhos escarlate fitaram Etsuko com mais profundidade que antes.

— Eu sou Toshiaki, sou formado em herbologia e botânica, trabalho numa floricultura na capital, as vezes dou palestras na faculdade que cursei, sou exageradamente educado e quando pequeno, tinha uma doença que não tinha cura, então meus pais, esses dois aqui.

Ele pegou um porta retrato da sua mesa e mostrou para Etsuko, sua mãe, pai e ele, os dois são morenos e bem comuns, menos Toshiaki, mas todos estão tremendamente felizes.

— Eles passaram dias rezando no templo daqui e parece que uma entidade da natureza atendeu seus pedidos, e me deu vida...uma vida como a que você tem, mas...ela também me deu poderes e me achou merecedor de ser seu clérigo, um druida...sou servo de uma entidade da natureza, e bem...também trato feridos, de vários tipos, de...vários locais. Eu acho que acabei ficando meio popular.

╰☆╮ Druida? Isso parece coisa de uma das histórias que leu. Diria que é uma piada com a sua cara, mas não pode porque acabou de ver coisas bem estranhas que ou lhe dizem que está louca ou lhe dizem que a realidade que conhecia era uma grande mentira até hoje. Ela franziu o olhar, daquele jeito quando as pessoas estão claramente repulsivas ao que lhes está sendo dito. Mas mesmo assim ela não começou a negar tudo e xingar ele. Se tinha uma coisa que deve ter aprendido recentemente é que mesmo sendo ruim e difícil de encarar, certas coisas você precisa aceitar. Então a realidade é esta, ela só era ignorante sobre. E Toshiaki não tem culpa de nada, é o bom samaritano da história. Se levantou e respirou fundo.╰☆╮

- Eu vou embora.

╰☆╮  No momento é só o que quer.╰☆╮

- Eu vim procurando respostas e achei mais do que queria, mais do que esperaria. Mas quem procura acha, então...

╰☆╮ Estava pensando que tipo de ideia sua vó teve para enfiá-la num lugar assim antes de morrer. Quem sabe o destino goste de fazer piadas com a sua cara e ver suas reações. Não sabe como reagir a isso, mas optou por não gritar, não negar. Está com medo, assustada com o que viu, mas correr de tudo não ajudaria também. De novo está de volta ao ponto onde não sabe o que fazer, mas quer ir praquilo que chama de casa agora. Não vai desabafar com ninguém, pois não tem isso, mas pode ficar em sua cama e descansar, quem sabe. Foi caminhando em direção a porta, só esperava que ele saísse da frente e pudesse sair dali. Nem pensa em sair em segurança, porque... Agora parece piada.╰☆╮

— Tudo bem, tenha uma boa noite Etsuko-san, não esqueça de regar as plantas, por favor.

Ele foi gentil e se preocupou, com as plantas, é claro. Elas estão nas mãos de Etsuko e ele apreciaria que ela tivesse cuidado. Plantas novas ficam muito nervosas, com medo de serem abandonadas ou mal cuidadas. Depois que ela partiu, ele resolveu limpar as coisas na casa e depois dormir.

07 de maio - quarta feira - 2014


- Hm...

╰☆╮ Etsuko passou por ele e foi pra casa. Sentiu-se estranha o caminho inteiro, com medo e mesmo quando entrou em sua casa estava pra lá de assustada. Trancou as portas, as janelas, tudo e se enfiou dentro do quarto. Escuro embaixo das cobertas. De manhã não se levantou para ir para o trabalho como normalmente faz, de manhã não fez nada, não queria sair de casa e muito menos da cama.╰☆╮

Antes de ir para o trabalho, Toshiaki passou na casa de Etsuko e deu um jeito de molhar as plantas, disse a elas que voltava a noite e lá pelas 21h, ele estava na frente da casa dela outra vez, buzinou algumas vezes.

╰☆╮ Ela não ficou surda de repente. Ela ouviu a buzina, mas não fez mais que rolar para o outro lado da cama e por um travesseiro na cabeça. ╰☆╮

Buzina não funciona? Tudo bem, ele desligou a moto, tirou o capacete com toda tranquilidade e resolveu exagerar.

— E-TSU-KOO-SAAAANN VOCÊ ESTÁ BEM?! ESTÃO TODOS PREOCUPADOS COM VOCÊ, E-TSUUU-KOO-SAAAANNN!!

╰☆╮  De repente ela estava ouvindo gritos. Era Toshiaki chamando por ela. Ela pressionou mais o travesseiro contra a cabeça e tentou ignorar. Que história é essa de todos estarem preocupados? Não tem amigos, nem família. Não tem ninguém pra se preocupar. Nem mesmo as plantas, se é isso a que ele se referia, não é amiga das plantas, nem as conhece ainda. Teria afundado na cama se isso fosse possível, pois não queria pensar em nada disso que inevitavelmente acabou pensando. Vai ficar em silêncio, ele provavelmente vai embora se fizer silêncio, todo mundo faz isso, não precisa fazer nada. ╰☆╮

— Eu acho que você já ficou enfiada em casa por muito tempo...não é saudável.

Ele pegou sua mochila na moto e as duas caixas de pizzas quentinhas e cheirosas e pulou o muro da propriedade dele, mas não antes de responder a alguns vizinhos o que aconteceu e depois elas disseram que iriam ajudar, iriam fazer algo gostoso pra ela comer e ter vontade de sair de casa outra vez. Uma jovem como ela não pode ficar assim. Deixou as caixas na varanda e foi tratar de tranquilamente, molhar as plantas e conversar com elas, que estão nervosas com essa situação toda, mas Toshiaki é um cara muito legal, estava tranquilo enquanto fazia seu trabalho e depois que terminou, foi até a porta dela e bateu algumas vezes.

— Etsuko-san, seus vizinhos estão preocupados e eu também. Por favor...abra a porta, você está mesmo aí, não é?

╰☆╮ Etsuko não queria levantar e ir abrir a porta, não quer nem sair do quarto. Ela só estava esperando ele ir embora. Sim é só esperar, todo mundo acaba indo embora, cansado, ou pra se ocupar com os compromissos que tem pelo caminho. ╰☆╮

- Vai embora, Toshiaki.

╰☆╮ Disse baixo, não tinha a intenção de ser ouvida.╰☆╮

Mas ele não iria. Podia jantar bem ali, pra que sair do lugar? Alguns vizinhos deixaram ali mais uns pratos deliciosos pra pobre Etsuko se animar, mas Toshiaki é o grande teimoso, principalmente porque o que ele faz na sua casa é sua responsabilidade, assim como tentar manter as pessoas longe disso.

08 de maio - quinta feira - 2014 - sol


╰☆╮  Ela ficou na dela. Até dormiu de novo, dormiu a noite inteira. Só acordou pela manhã, ainda sem vontade de ir trabalhar, sair de casa, sair da cama, mas hoje ela se levantou... Pegou um copo de água ou morreria desidratada. Não tinha a intenção de se matar, embora não tenha comido nada e ainda não sentisse fome. Abriu a janela da cozinha. Quis deixar o sol entrar, depois foi sentar-se em uma cadeira com o seu copo de água e seu desanimo por ali pela cozinha.╰☆╮
avatar
Lih
Admin

Mensagens : 5141
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 26

http://scarletrosescans.blogspot.com.br/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ramificações flamejantes - posts

Mensagem por Lízi em Qui Jul 03, 2014 12:49 pm

Toshiaki estava cuidando do jardim, bem tranquilo, mas teve que partir antes de Etsuko acordar, pois tinha que trabalhar. Deixou um bilhete na sua porta.

— "Sinto muito por todo incomodo que lhe causei, mas por favor...não negligencie seu jardim."
avatar
Lízi
Admin

Mensagens : 5172
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 26

http://aweternalinks.omeuforum.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ramificações flamejantes - posts

Mensagem por Lih em Qui Jul 03, 2014 3:08 pm

╰☆╮ Com o tempo Etsuko percebeu que Toshiaki deveria ter ido embora. Ele foi um pouco mais insistente do que ela está acostumada, mas no fim se foi, como previsto. Ficou a maior parte da manhã sentada na cozinha imaginando que ideias sua vó deveria ter tido. Ela sempre foi mantida afastada de tudo, com certeza as razões eram fortes e provavelmente perigosas. Ninguém faria tudo isso sem um bom motivo. E ela morreu por isso de certa forma, mas antes do fim a deixou nesse lugar estranho, com esse cara esquisito que atende esquisitices. Ela respirou fundo antes de se levantar e pegou  uma maçã. Depois de avaliá-la, mordeu e começou a comer, mesmo que não tivesse muito gosto agora. É melhor que se alimente, seria idiotice se deixar adoecer só por isso, só tem que se acostumar, afinal ela também tem seu lado... Estranho. Resolveu que iria lá fora. Acabou encontrando o bilhete de Toshiaki e aquele jardim que crescera da noite para o dia bem ali. Ela olhou para o jardim com desconfiança e se sentou na porta de casa. Levou uma hora até decidir cuidar dele, seguindo as instruções que foram deixadas. Ainda tinha muito o que aprender, mas faria o melhor possível. Não quer mesmo maltratar as plantas.╰☆╮
avatar
Lih
Admin

Mensagens : 5141
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 26

http://scarletrosescans.blogspot.com.br/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ramificações flamejantes - posts

Mensagem por Lízi em Qui Jul 03, 2014 3:20 pm

Toshiaki estaria voltando para casa as 18h, com um presente de desculpas para Etsuko. Ele não conseguia lidar bem com a ideia de que abriu o véu para ela, não era algo correto fazer isso tão de repente, não conseguia se sentir bem com isso e precisava se desculpar pelo menos. Estava levando um arranjo de flores para ela, flores lindas que agradariam os olhos dela, flores distintas e cheias de atitude, como ela. Esse tipo de flor, Toshiaki gosta muito desse tipo, ele pensou enquanto sorria distraidamente, pensando em Etsuko, e não na flor.

As 20h conseguiu chegar, não pegou trânsito, por qualquer que seja o motivo, e nem teve que palestrar hoje. Foi direto até a casa dela e chamou por ela no portão, animado pelo que conseguia ver do jardim, ela tinha cuidado dele e por isso estava dez vezes mais cheio de vida.
avatar
Lízi
Admin

Mensagens : 5172
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 26

http://aweternalinks.omeuforum.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ramificações flamejantes - posts

Mensagem por Lih em Qui Jul 03, 2014 6:45 pm

╰☆╮ No momento em que ouviu a voz de Toshiaki, Etsuko se tornou apreensiva. Ele voltou?! Por quê?! Estava arrumando algumas coisas no quarto e não soube bem se atendia-o ou não. Não está muito certa se deve falar com ele. Talvez seja melhor deixar como está.

Diferente de ontem, as portas não estão trancadas, nem as janelas.
╰☆╮
avatar
Lih
Admin

Mensagens : 5141
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 26

http://scarletrosescans.blogspot.com.br/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ramificações flamejantes - posts

Mensagem por Lízi em Qui Jul 03, 2014 7:58 pm

Ele chamou de novo e de novo e de novo, bem inconveniente.
avatar
Lízi
Admin

Mensagens : 5172
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 26

http://aweternalinks.omeuforum.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ramificações flamejantes - posts

Mensagem por Lih em Qui Jul 03, 2014 8:11 pm

╰☆╮ Ele sabia bem como ser chato não é? Ela acabou por sair do quarto, respirar fundo e ir atendê-lo. Está usando um vestido curto, de alça finas e decote arredondado bem solto ao corpo, num tom claro de amarelo. Seus cabelos vermelhos estão soltos e penteados. Não chegou perto do portão, assim que abriu a porta e o fitou disse:╰☆╮

- Mas o que é que você quer? Não precisa ficar vindo até aqui. Eu não vou comentar sobre as suas ocupações com ninguém, então... Não precisa se preocupar. Não vou matar as plantas também, então...
avatar
Lih
Admin

Mensagens : 5141
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 26

http://scarletrosescans.blogspot.com.br/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ramificações flamejantes - posts

Mensagem por Lízi em Qui Jul 03, 2014 8:21 pm

— Ah...você está linda hoje, fico feliz que tenha cuidado do jardim.

Toshiaki ficou visivelmente corado quando viu Etsuko, depois deu um largo sorriso simpático e estendeu o buquê de flores para ela.

— Eu quero que você jante comigo amanhã, na cidade.
avatar
Lízi
Admin

Mensagens : 5172
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 26

http://aweternalinks.omeuforum.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ramificações flamejantes - posts

Mensagem por Lih em Qui Jul 03, 2014 8:32 pm

╰☆╮ Que inacreditável. Ele estava lhe fazendo um elogio? Apesar de por uns instantes ter sido pega desprevenida e o coração ter batido mais forte, ela se lembrou de como as coisas são com ele. Essas flores e esse convite são um pedido de desculpas. Não tem nada a ver com um encontro ou interesse dele.╰☆╮

- Dar buquês de flores devia ser proibido. Está matando elas por um capricho seu. E eu não vou jantar com você. Eu não vou fazer nada com você porque se sente em dívida ou coisa parecida, eu já falei. Então pode ir e não mate mais flores pra isso, elas não merecem.

╰☆╮ Sabe que está sendo rígida com ele. Mas a verdade é que está se dando outro choque de realidade pra não ter tanto interesse assim por ele. É um cara bem esquisito, mas mesmo assim... Ele é gentil, bondoso e faz jardins incríveis.╰☆╮
avatar
Lih
Admin

Mensagens : 5141
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 26

http://scarletrosescans.blogspot.com.br/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ramificações flamejantes - posts

Mensagem por Lízi em Sex Jul 04, 2014 8:24 am

É verdade, não existe nenhuma segunda intenção por trás do convite de Toshiaki, mas ela disse algo muito errado nesse momento, então ele teve que lhe corrigir.

— A natureza se comunica comigo, Etsuko-san. Eu crio plantas para fins medicinais e apenas porque as amo também, veja bem...a única a fazer algo errado será a senhorita se não aceitar esse arranjo que eu mesmo fiz, pois estas flores, que ainda estão bem vivas, concordaram em ser um presente para você. Eu trabalho numa floricultura, mas uma muito diferente das outras, eu não atendo qualquer um, eu não faço arranjos para qualquer pessoa e acredito que a última pessoa a quem dei flores pessoalmente, foi minha mãe em seu aniversário.

Ele arqueou a sobrancelha, insistiu em lhe entregar o arranjo.
avatar
Lízi
Admin

Mensagens : 5172
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 26

http://aweternalinks.omeuforum.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ramificações flamejantes - posts

Mensagem por Lih em Sex Jul 04, 2014 1:54 pm

╰☆╮ Etsuko respirou fundo e balançou a cabeça.╰☆╮

– Ótimo trabalho, estou completamente convencida.

╰☆╮ Ele é tão sem tato.╰☆╮

– A não aceitar.

╰☆╮ Foi entrando em casa, mas antes de fechar a porta disse.╰☆╮

– Me desculpe, flores, mas o cara que as está segurando não compreende quando não é um bom momento para lhes presentear a alguém. E além de tudo eu ainda sou contra fazer esse tipo de coisa. Não me odeiem, vocês são lindas.

╰☆╮ E então fechou a porta. Se sentia mais aborrecida agora. Não gosta do que aconteceu, não gosta do que está acontecendo... Ah... Melhor nem pensar mais nele. Desenvolver sentimentos é que poderia ser um erro.╰☆╮
avatar
Lih
Admin

Mensagens : 5141
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 26

http://scarletrosescans.blogspot.com.br/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ramificações flamejantes - posts

Mensagem por Lízi em Dom Jul 27, 2014 5:56 pm

Toshiaki decidiu que era melhor passar no centrinho da cidade e tomar algumas bebidas, depois ir para a casa, mas no caminho pra casa ele achou que seria muito justo voltar e falar com Etsuko e tratar de acertar uns pontos. É uma noite tremendamente quente de cigarras berrantes, então ele estava dirigindo sem camisa, indo em zig zag pela estrada, até parar na casa dela. Foi bater na porta dela, nada delicado. Com os cabelos bagunçadinhos do vento de andar sem capacete e seu belo físico, ele espera ser atendido, pra passar a limpo tudo isso. Não é daqueles bebados chatos, é mais um bêbado muito sério.

— ETSUKO!
avatar
Lízi
Admin

Mensagens : 5172
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 26

http://aweternalinks.omeuforum.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ramificações flamejantes - posts

Mensagem por Lih em Dom Jul 27, 2014 6:30 pm

╰☆╮ De repente, enquanto dormia depois de chorar um pouco sozinha trancada no quarto pode jurar que ouviu uma voz. Acordou com um susto, a voz parecia vir lá de fora. Estava agora em uma camisola azul clara e curta, com alçinhas finas nem muito justa e nem muito apertada ao corpo. Era confortável... estava calor, embora calor não fosse algo que a incomodava, se sentia bem na presença de algo quente, algo que não conseguia explicar. Seus cabelos estavam ligeiramente bagunçados então ela passou a mão sobre eles e se levantou. Não deveria fazer isso, não deveria simplesmente levantar e ir atender a porta tarde da noite vestida daquele jeito enquanto sozinha em casa. Mas ela não estava no seu juízo perfeito. Não pensou sobre isso após ser despertada abruptamente de seu sono. Acendeu as luzes e abriu a porta. Seus olhos arderam, não se acostumaram com a claridade. Teve de fechá-los e só conseguiu abrir um pouquinho fitando a pessoa na porta.╰☆╮
avatar
Lih
Admin

Mensagens : 5141
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 26

http://scarletrosescans.blogspot.com.br/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ramificações flamejantes - posts

Mensagem por Lízi em Dom Jul 27, 2014 6:49 pm

Toshiaki sorriu ao vê-la, apesar da claridade também incomodar seus belos olhos rubros. Ele se aproximou bem dela, como é mais alto que ela, fez sombra e a segurou na cintura, com gosto.

— Escuta aqui, Etsuko. É muita coragem recusar as minhas flores!

Disse bem firme, bem 'macho'.

— Eu quero sair com você porque é gata e não se jogou  em mim. Tem um monte de mulher se atirando em mim, mas eu não gosto muito disso, entende? Ah, se eu quiser sair com alguém, eu tenho a capacidade de chamar eu mesmo oras! To chamando você, tem certeza que não quer?

Aquele corpo lindo e bem cuidado, bem próximo do dela, o perfume gostoso dele no ar...

— Então diz que não quer e eu nunca mais convido, você que sabe.

Lhe lançou um olhar provocativo, um sorriso malicioso e divertido e esperava mesmo uma resposta.
avatar
Lízi
Admin

Mensagens : 5172
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 26

http://aweternalinks.omeuforum.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ramificações flamejantes - posts

Mensagem por Lih em Dom Jul 27, 2014 7:03 pm

╰☆╮ De repente lá estava ele, bem junto a ela, lhe bombardeando palavras. Ela sentiu uma certa urgência em se afastar logo no primeiro instante, mas... Como num estalar de dedos isso foi se perdendo pelo toque em sua cintura. Há alguma coisa de muito especial nisso... Se sentiu terrivelmente bem e apesar de ter segurado as mãos dele para afastá-la, não conseguiu comandá-las para fazer isso. Que estranho... Nunca deixou isso acontecer com qualquer outra pessoa. Mas então sentiu seu hálito. Ele estava daquele jeito porque estava bêbado. Não devia estar falando coisa com coisa agora. Isso lhe deu o impulso para afastá-lo. Ela não é uma garota nada forte, se ele resistisse a ela, certamente não conseguiria afastá-lo um milímetro sequer.╰☆╮

– Toshiaki! O que deu em você?!

╰☆╮ Respirou fundo, franziu a testa e olhou em seus olhos. Não queria se dar ao luxo de dar uma olhadela naquele físico maravilhoso e estonteante. Ficou se lembrando, ele está bêbado, bêbado, completamente bêbado.╰☆╮

– Olha porque não vai se sentar, eu faço algo pra você tomar.

╰☆╮ Pretendia manter a calma, apesar daquela situação pedir alguma urgência.╰☆╮
avatar
Lih
Admin

Mensagens : 5141
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 26

http://scarletrosescans.blogspot.com.br/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ramificações flamejantes - posts

Mensagem por Lízi em Dom Jul 27, 2014 7:12 pm

Toshiaki está bêbado e inconveniente, mas não está totalmente perdido. Ele achou estar no lucro já que não apanhou, como deveria.

— Você não me conhece, quando eu preciso de muita coragem pra dizer algo, eu bebo um pouco, nem foi muito!

A moto só estava caída na entrada da casa dela. Ao contrário dela, ele não deixou de olhar pro corpo dela naquela roupa nem um segundo, mas também notou que ela pareceu que estava chorando em algum momento antes dele pensar em aparecer, será que foi sua culpa? Se tem uma coisa que cura bebedeira de Toshiaki, mesmo lentamente, é se ele fez uma mulher chorar, por qualquer que seja o motivo. Pensou em pedir desculpa, mas preferia pedir desculpas abraçando ela e dando carinho, do que só falando e tentando dar flores.
avatar
Lízi
Admin

Mensagens : 5172
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 26

http://aweternalinks.omeuforum.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ramificações flamejantes - posts

Mensagem por Lih em Dom Jul 27, 2014 7:33 pm

╰☆╮ Quando sentiu os braços dele em volta dela, se sentiu nas nuvens e alguma coisa realmente se partiu dentro dela. Ela anda triste, sozinha, sem ninguém pra dividir qualquer problema... Sem ninguém pra contar o quão infeliz ficou quando a única pessoa no mundo lhe deixou e o quanto tem sido difícil seguir em frente agora... Sem saber de nada... Sem saber por onde seguir. Sua vó lhe deixou numa ótima condição financeira, embora não parecesse pela casa simples e coisas simples dentro dela. Lágrimas desceram pelos seus olhos com o abraço. Ela não queria chorar, não mesmo, então tentou se segurar. Não soluçou nem nada e tentou não enfraquecer. Se segurou.╰☆╮

– Toshiaki...

╰☆╮ Sua visão estava meio borrada com as lágrimas lhe enchendo os olhos. Tentava evitar piscar, para que não simplesmente escorressem. Queria que parassem. Respirou fundo e não disse nada além... não sabia o que dizer. Não sabe o que fazer.╰☆╮
avatar
Lih
Admin

Mensagens : 5141
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 26

http://scarletrosescans.blogspot.com.br/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ramificações flamejantes - posts

Mensagem por Lízi em Dom Jul 27, 2014 7:42 pm

Toshiaki apertou o abraço um pouco, ele acomodou a cabeça dela em si mesmo, afagando seus cabelos vermelhos, que lhe chamam muita atenção. Ele é bom para se conversar, é um excelente amigo, mas não suporta ver uma garota tão jovem e tão bonita, que as vezes lhe pareceu tão feliz pela vida nova, estar tão perturbada. Seu toque é mágico sim, ele causa tranquilidade, mas ele também expõe a dor. Ela podia se segurar, ele não disse nada, fingiu que não viu suas lágrimas tomando conta dos seus olhos, e que não notou o corpo dela esquentando bastante com a emoção. Sabe que não é pelo seu porte físico e ainda está bêbado e pensando bobagens, mas acima de tudo, ele pode compreender que ela sente uma dor muito grande, então achou que nesse momento, nada precisava fazer sentido. Ele só a abraçou de um modo permissivo, ela podia chorar se quisesse, ou podia ficar brava. Ele acha que ela tem que ser livre para fazer isso, mesmo que agora al iberdade possa ser assustadora para ela.
avatar
Lízi
Admin

Mensagens : 5172
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 26

http://aweternalinks.omeuforum.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Ramificações flamejantes - posts

Mensagem por Lih em Dom Jul 27, 2014 8:02 pm

╰☆╮ Por que tinha que atender a porta? Por que não chutou ele e o enxotou dali? Por que deixou-o se aproximar? Quando ele apertou o abraço não podia mais simplesmente se segurar, ficou muito difícil não deixar as lágrimas rolarem e se sentiu frágil, fraca, boba. Queria se sentir brava com ele, mas não conseguiu, o abraçou então e ficou ali chorando em seus braços, porque precisava fazer isso, precisava absurdamente disso.╰☆╮
avatar
Lih
Admin

Mensagens : 5141
Data de inscrição : 30/06/2014
Idade : 26

http://scarletrosescans.blogspot.com.br/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 5 1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum